lanzapedro:

Desde criança sempre quis fazer música, vocês já conhecem esta parte da história, sempre quis cantar para todo mundo a minha vida, mostrar uma das coisas que eu faço desde meus 12 anos de idade. Enfrentei (e ainda enfrento) muitos nãos, algumas pedradas no caminho, muitas ofensas, e opiniões que não acrescentaram muita coisa na caminhada para que eu pudesse construir meu sonho. Mas sonho não se desiste, não é mesmo? E para realizá-lo, não sabia que tantas coisas mais eu precisaria passar. Pensei que era fazer música e cantar. Mas não é só isso. Ficar exposto, ser reconhecido, todo o carinho que se recebe, e também críticas, tudo isso, junto e misturado, é preciso saber lidar. E há pessoas que ultrapassam o limite entre o artista e o ser humano, e isso nos tira do sério. Aí as palavras, as más, chegam primeiro.

Eu estou longe de ser exemplo para alguém, sou uma pessoa que vive os momentos intensamente. Também dou risadas, brigo com irmã, primos, amigos, depois conversamos, conversamos e vemos que a amizade e amor sempre prevalecem. Sou um garoto cheio de defeitos, com alguns objetivos e também algumas qualidades. Procuro viver a vida de tal forma que eu seja feliz. Já cometi erros, claro. Mas quem nunca errou? Quem nunca se arrependeu? Quem nunca passou, ou melhor, quem nunca passa por dias ruins?

E por ser “artista”, parece que meus dias se tornam muitos mais intensos que os dias de todos os jovens. Mas eu sou apenas um jovem, como vocês, que às vezes se sente sozinho e perdido nesse mundo gigante e um tanto cruel, pois até quem mais me apoia parece de repente me vira as costas.

Cada passo que eu dou, eu compartilho com vocês. Cada madrugada que eu fico acordado, respondendo vocês, é muito alegre e especial para mim também. Cada twitcam, cada beijo, cada música… tudo isso tem seu valor. Essa nossa relação foi sendo construída passo a passo com o tempo e com muito respeito, tanto por mim quanto por vocês. E quando esse respeito se confunde com liberdade, acabamos perdendo a razão de ambos os lados. Vocês têm liberdade para me cobrar boas músicas, boas atitudes, dedicação, sugerir algumas coisas, mas não para dizer o que eu devo ou não devo fazer. Todos temos limites, é normal do ser humano explodir às vezes. O meu maior defeito ou qualidade, dependendo do ponto de vista, é ser transparente. Não gosto de fingir, não gosto de mentir, não tenho a intenção de fantasiar nas palavras. Sou o que sou. Tolero até meu limite, nada diferente de todo mundo. Óbvio que me tornei uma pessoa pública e isso requer cuidados. Porém, quem aprendeu a gostar de mim, sabe que sou mais pelo coração do que razão. O coração é extremo, quente ou frio. Já a razão é morna.

“Você não deveria ter falado tudo aquilo”, “você magoou muita gente”, “nós pagamos tudo o que você tem” - e o quanto me magoam com certas brincadeiras por aí? E o quanto me magoam questionando minhas roupas, meu cabelo e até mesmo minha sexualidade? E quando xingam a mim, minha namorada, minha família? Sempre aguentei tudo isso por muitas pessoas se identificarem com a minha história. Pessoas que vivem intensamente comigo o meu sonho e se sentem parte integrante de tudo isso. E vocês realmente são! Me deram muitas coisas sim: carinho, dedicação, força de vontade, presentes. É… cada presente que eu ganhei nesses 5 anos de Restart foram guardados, com todo carinho do mundo. Tenho um quarto na minha casa “inutilizável” porque não tive coragem de me desfazer de nada do que ganhei. Meu quarto é mobiliado com pelúcias, quadros e outros “mimos” que ganhei dos meus fãs, da família Restart. É como se eu dormisse com um pedacinho de cada um que quis eternizar um certo momento quando estivemos juntos, e me entregou uma lembrança.
E por considerar muito todos vocês que eu me senti na obrigação de guardar tudo isso. As cartas, por exemplo: tenho desde quilométricas até cartinhas com apenas um “eu te amo” escrito. Cada uma tem seu valor. Posso não ser o melhor ídolo do mundo pra muita gente, mas guardo tudo com muito carinho. Sou julgado sempre por muita gente, mas por vocês? É difícil acreditar…

Talvez possa usar como desculpa que eu tenha me expressado mal num dia ruim, que não aguentei os comentários maldosos na foto sobre meu cabelo, que fiquei chateado por ter atendido todos os telefonemas daquele dia com carinho e atenção, apesar de ser retribuído como vergonha por todos vocês horas depois… mas uma coisa é certa: nunca duvidem que todo esse amor de vocês é e sempre foi recíproco por minha parte. Se não sentisse tudo isso à flor da pele, não estaria aqui de coração aberto fazendo esse “desabafo” a todos. Estou aqui falando tudo isso porque todos nós devemos respeito uns aos outros. Respeitemos o próximo, pois a nossa liberdade vai até onde começa a do outro. Isso não pode faltar. Estamos aqui juntos, acima da falta de respeito e de todas as piadinhas que fazem. Se não respeitarmos a nós mesmos que somos parte integrante disso tudo, aí já não existe mais por que seguir em frente com isso.

Estou aqui para quem se importa. E não é tão somente um pedido de desculpas, mas uma justificativa do que foi falado. Vale lembrar que toda moeda tem dois lados. Para terminar, se encontrem aí na foto, seja em alguma carta ou em algum presente. Com certeza, grande parte de vocês vive comigo até hoje. OBRIGADO!

Beijo!
Pe Lanza.


Na cama eu faço loucuras tipo derrubar o celular na cara enquanto to digitando


E o que a boca não fala, o olhar admite.


1 year ago · 10,243 notes · reblog
originally impiedosa · via recuou

"Bora na piscina?" "Não posso" "Por que?" "Ah, você sabe…" "Não, não sei, por que?" "Ah, por que não rola" "Ai não tô entendendo, por que não pode ir?" "Ah, tô sentindo uma dorzinha" "Onde?" "NO OVÁRIO PORRA!" "Hã? Tá com cólica? Mas o que é que tem? É só uma dorzinha" "Eu tô naqueles dias…" " De preguiça?" "NÃO CARALHO, MESTRUAÇÃO, JÁ OUVIU FALAR? TÔ SANGRANDO FEITO UMA LOUCA ,TÔ PARINDO DINOSSAUROS DE TANTA CÓLICA, PORRA, ENTENDEU OU QUER QUE EU DESENHE?" "Nossa, não precisava ser grossa"


1 year ago · 48,340 notes · reblog
originally maniacas-1d · via recuou